Na última semana eu, novamente, me deparei com uma série de postagens patrocinadas (anúncios) no feed do Instagram que indicavam promoções estapafúrdias e muito apelativas. Por exemplo, havia uma de um computador que custa por volta de 3 mil reais sendo oferecido por 700 reais. Uma rápida olhada no nome do usuário que postava o anúncio indicava que se trata de algo feito para enganar o consumidor incauto. A imagem de perfil fazia alusão a um grande varejista nacional, as cores da imagem e o nome haviam sido construídos para levar as pessoas a pensarem que se tratava de promoção e publicação verdadeira.

Só que se clicarmos no anúncio somos levados a um site que – obviamente – não é o site do anunciante (basta olhar o URL). Ou seja: é um anúncio fraudulento e configura claramente um golpe.

Como o anúncio aparece no feed
Clicando no link para fazer a compra, percebemos (pelo URL) se tratar de site suspeito

Usando a própria ferramenta de denúncias da plataforma, indiquei que o anúncio era um golpe e levava as pessoas a erro.

Trabalho concluído, certo? Infelizmente, não. Depois de fazer isso, duas coisas aconteceram.

  1. passei a ver mais e mais anúncios semelhantes, indicando que o esquema é grande e possivelmente bastante lucrativo.
  2. horas depois de feita a primeira denúncia (neste dia acabei fazendo mais de 40 denúncias e recomendei a pessoas que fizessem o mesmo) recebi a resposta da plataforma de que o anúncio havia sido revisado e que o anúncio não feria as normas da plataforma. 

Me senti um palhaço; mas um palhaço reflexivo 🤡

O episódio me ensinou que além dos golpistas lucrando com as vendas fraudulentas, a plataforma lucra (e muito) com os inúmeros anúncios que os golpistas publicam na plataforma. Então é um jogo de ganha-ganha-perde. Creio que dá para perceber que quem perde é o usuário. Dia após dia tem muita gente que acaba caindo nestes golpes e acaba se prejudicando enormemente com prejuízos de compras que jamais receberão.

É uma pena que isso aconteça desta forma. Entendo ser um processo extenuante para as plataformas, mas esse é o negócio delas. É necessário que se invista pesadamente em pessoal e capacitação para dar conta deste problemas além de, claro, melhorar os sistemas de verificação e de avaliação automatizada dos anúncios. 

Vendo o exemplo documentado nesta postagem a gente pode perceber que a avaliação da plataforma de que “o anúncio não fere a política de publicidade na plataforma” a gente pode sacar que o buraco é bem mais embaixo. A plataforma indica por meio desta resposta que não está muito inclinada a impedir que isso aconteça. Afinal, o golpe dos outros dá a ela lucro com a exibição de publicidade.

Desafios grandes que precisam ser encarados.

Leave a Reply

Your email address will not be published.